Avanços da ciência contra a impotência sexual

A impotência sexual é um problema que é realmente muito mais comum do que se imagina. Isso porque mais de 50% dos homens que apresentam mais de 40 anos de idade sofrem com o problema.

No entanto, esse é um tipo de problema que não se restringe apenas aos mais velhos. Ele também pode acontecer com jovens que estão iniciando a sua vida sexual, embora, normalmente, os motivos sejam diferentes.

Justamente por isso é que a ciência está cada vez mais buscando alternativas para resolver o problema de uma vez por todas, visto que a impotência ainda é um problema que não tem cura, apenas tratamento.

Sendo assim, vamos conhecer os principais avanços da ciência contra a impotência sexual.

  1. Células-tronco

Esse tipo de tratamento contra a impotência sexual ainda está em fase de estudos clínicos, mas os resultados prévios já são bastante promissores.

Nesse caso, as células-tronco são injetadas diretamente no pênis para ajudar em sua recuperação, o que é bastante simples, visto que se trata de um órgão externo.

O mais importante é salientar que vai levar um bom tempo para que os resultados do tratamento possam estar disponíveis, visto que são vários níveis de pesquisas.

  1. A evolução do azulzinho

Embora esse medicamento ainda não esteja disponível no mercado, a ciência já vem estudando uma nova geração de remédios que atuem inibindo a PDE, tal como o Viagra e seus similares naturais, um deles, o Vialis Plus funciona e tem comprovado isto mediante ótimos resultados.

Essa nova leva terá uma ação mais ágil e que irá atuar de forma direta sobre os corpos cavernosos do pênis. Com isso, é possível minimizar os efeitos colaterais.

  1. Terapia usando ondas sonoras

Alguns aparelhos já existem no brasil, mas o problema é que todos possuem o mesmo princípio de funcionamento, que são as ondas de baixa intensidade que promovem um aumento da vascularização peniana.

Essa é a mesma energia ultrassônica que se utiliza para a quebra de cálculos renais, porém em quantidade adequada ao pênis.

Esse tipo de tratamento só é indicado para os pacientes que não apresentam uma boa resposta aos medicamentos orais.

  1. Spray sublingual

Esse medicamento é manipulado tendo como base os mesmos princípios ativos do Cialis e do Viagra. A diferença é que a absorção é melhor. No entanto, servem principalmente como um retardador da ejaculação.

O fato é que a medicina está avançando e a tendência é que os tratamentos vão ficando cada vez mais eficientes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *